Perda de Audição Precoce

Esta deveria ser uma grande preocupação da geração iPOD. Não só estamos utilizando fones de ouvido in-ear durante mais tempo, como aumentamos o volume do som para compensar os ruídos externos do escritório, trânsito ou shopping center.
Dennis Zasnicoff - Produtor Musical - Perda de Audição

O coquetel Volume + Tempo de Exposição é fatal. Nossos ouvidos precisam de descanso. Ouvir alto implica em ouvir menos tempo.
Os danos vêm ao longo prazo. Mas o que demorava 60 ou 70 anos no passado, agora está tomando 30 ou 40.

Minha sogra já não consegue ouvir as altas frequências (sons agudos). E olha que ela começou a utilizar iPOD há poucos anos e é jovem (aêhh Da. Dirce !). Apitos e chiados que nos incomodam passam despercebidos por ela. Uma vantagem, não? Neste caso sim, mas há pelo menos dois outros efeitos em paralelo para quem começa a perder a audição.

- Com o tempo, as faixa de sons imperceptíveis aumenta. Em algum momento, é possível que deixemos de perceber sons extremamente importantes para a inteligibilidade da fala, distinção de consoantes, senso de profundidade.
- As músicas já não são percebidas e apreciadas como deveriam ( é por isso que um produtor musical controla o volume com cuidado enquanto está trabalhando, seus ouvidos são sua principal ferramenta )

Esta perda é normal a partir de uma certa idade. O grande problema é que está começando mais cedo. Há diversos casos de pessoas com menos de 40 anos de idade que já apresentam uma grande perda de audição. Quase sempre, associada ao uso excessivo de fones de ouvidos “de embutir” e exposição prolongada a altos volumes.

Quando utilizar seu MP3 player, lembre-se disso. As dicas dos especialistas são: usar o volume médio como ponto de partida e trocar os fones por modelos que envolvem as orelhas ou encaixam bem justos aos ouvidos, diminuindo a interferência dos barulhos externos.
Nossos ouvidos se acostumam facilmente a variações de volume.

Se você ligar o som do carro BEM BAIXO e depois de alguns minutos aumentar um pouco o volume, a sensação será de que está ALTO. Por outro lado, se já começar escutando alto, depois de um tempo irá se acostumar enquanto os danos estão acontecendo, dia após dia… Comece devagar, aumente aos poucos até sentir que está ouvindo claramente.
De tempos em tempos, dê um descanso para os ouvidos. 5 músicas no iPOD, 5 minutos de pausa. 1 hora de música alta no barzinho, 20 minutos de descanso fora dele. E assim continuará curtindo música por muitos anos.

Faça um teste da audição online, fornecido por Joe Wolfe da Universidade de New South Wales, Austrália.

ATENÇÃO: Antes de começar o teste, abaixe o volume do seu computador, para não danificar a sua audição. Utilize fones de ouvido, do contrário não conseguirá escutar algumas frequências pelo áudio do computador. A tabela laranja contém diversas células que geram sons quando clicadas. Quanto mais acima da tabela, mas alto o volume. Graves à esquerda e agudos à direita.

- Minimize os ruídos externos e comece pela coluna de 1KHz, clicando bem abaixo. Vá subindo nas células (volume) até que o som esteja confortável, não muito alto, mas bem notável em relação aos ruídos de fundo. Este valor ficará memorizado abaixo da coluna 1KHz e será sua referência.

- Escolha outra coluna e, procure um valor de volume próximo ao anterior. Varie a intensidade até encontrar uma que seja percebida como o “mesmo volume” do primeiro caso. Volte na coluna anterior para escutar novamente e fazer comparações.

- Siga o procedimento para todas as colunas, SEMPRE usando a mesma referência de comparação em 1KHz.

Ao final, a tabela representará, com relativa precisão, como a sua audição percebe as diferentes frequências. Em outras palvras, o “contorno de volumes iguais” dos seus ouvidos. É normal que haja grandes diferenças nos extremos agudos e nos extremos graves. Nossa audição, de fato, prioriza alguns tipos de sons que, desde os primórdios do ser humano, são os mais importantes para a sobrevivência da raça. Uma variação do teste é começar pelo volume mínimo, encontrando qual o menor nível percebido em cada frequência.

Dennis Zasnicoff - Produtor Musical - Curvas de Fletcher-MunsonA preocupação começa quando as diferenças são muito maiores do que o padrão esperado.
Ou quando existem em apenas algumas frequências. A figura ao lado (clique sobre ela para ampliá-la) representa a média da população. Se você fez o teste com sons altos, veja se seu resultado se parece com as curvas 90 ou 100. Se utilizou volumes bem baixos, compare com as curvas 40 ou 50.

Encontrando algo estranho, consulte um fono-audiólogo e/ou deixe comentários neste post.

Bons testes !

 

Adicionar comentário

*** AGUARDE SEU COMENTARIO SER APROVADO E PUBLICADO ***
Reservamos o direito de modificar ou deletar informações a qualquer momento, sem aviso prévio. As medidas pretendem evitar o uso de termos ofensivos, propagandas e conteúdos não pertinentes.


Código de segurança
Atualizar

BLOG NO SEU EMAIL

Não perca nenhum artigo.

Feed

feed-image RSS

ENQUANTO ISSO NO TWITTER...

SEJA FÃ NO FACEBOOK

Login




ACADEMIA DO PRODUTOR MUSICAL

INSCRIÇÕES ABERTAS
(poucas vagas com 50% desconto)

academia do produtor musical logotipo

Academia do Produtor Musical
EXCLUSIVA PARA MEMBROS

VISITANTES ONLINE

Temos 188 visitantes online

LIVRO GRÁTIS

Baixe uma cópia do Manual de Bolso da Produção Musical

manual_pequeno

(3a. edição, com 37 páginas sobre as etapas da produção, dicas, termos e dados de mercado. Para músicos, técnicos e produtores)

PARCEIROS

REGISTRE SUA MÚSICA


CASES PARA TRANSPORTE

hard dj case